Loading...

It's been a hard days night!

Têm dias em que a noite é foda.


12 fevereiro 2010

ei você mocinha que passa apressada caminho da balada. eu sou aquele velhinho que guarda os carros aquele mesmo açoitado pelos guardas. sou aquele barbudinho metro e meio cabelo rareando cigarrinho na mão esquerda. não tema minha filha carolinha hipócrita moça de família. eu sou tranqüilo sou da paz. estive em woodystock só não me toque que banho não me apraz. eu sou o cara humilde que troca garrafa quente por gelada na lanchonete da esquina. não se assuste japa kamikase china sou feio mas sou cliente e sempre trago os paramingüás. mocinha mocinha doce de pele rosada aproveite o tempo que em certo momento ele também te alcançará. ouça agora prol de aliviar tormentos futuros o que o velhinho te proporá. suba no meu cangote dessa cinta liga faça um chicote comece logo a galopar. já fui moço cuidei da vida deixei trêis fia quirida lá no meu inormi ciará. confie em mim doninha bendita arrebite bem a carrapita qui é pa módi nóis bimbá. perdoa esse pobre manço velho feio coxo fedido e chucro cabra pancho ma é qui mi incantei com teu remanço e agora penso em mi casá. montá casa pa dona mocinha largá essa vida pirigrina e todo dia te o q armoçá. voltá a falá comu'eu falava qdo via passarada as asinha arribá. eu o pobre véio interiorano viúvo di seis mêis pelo mundo vaganu u senhô dos araribá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário