Loading...

It's been a hard days night!

Têm dias em que a noite é foda.


06 outubro 2009

Olha só: outro teve o q nunca me foi dado... ironia fina!... q pena... difícil conhecer as pessoas q vestem máscaras e soltam o q não devem... a vida, ah, a vida é sofrida... dolorosa?... acredito q sim, mas dor maior não é aquela que nos segue, que vem atrás de nós... dor maior é perder deixar escapar nunca mais ter como nosso o amor de nossa vida.... dói, entristece, sufoca... mas fazer o q! melhor seguir em frente, sempre olhando atrás.... aprender e não recair no mesmo erro... fazer jus a vil condição q nos é imposta... até errarmos de novo e nos entregarmos a toxicômanos amigos de nossos ex que, no mais das contas, não são mais ninguém em nossas vidas... que não têm nada a ver (e não “haver”) com elas... não mais criticar as qualidades e defeitos existenciais de nossos queridos, pois logo a frente, ali, na próxima esquina, acabamos arrumando outros tantos iguais aos anteriores.... e a vida continua... (a vida, esse clichê dos clichêres!).... a vida segue, mas a dor fica... e estará lá para sempre.... sempre!... quando não mais tiver o antigo amor na conchinha na cama; quando lembrar que ele dizia: não me importo com suas estrias; quando não mais rolar o almoço de domingo ou a cumplicidade dos ataques mútuos... a vida não pára!... e não é bela... não, não é mesmo...não hoje!... resta aquele pouco açúcar no fundo da xícara... o pires já encharcado pela mão trêmula... a cárie que salta e devora as amígdalas... a vida... a despedida... a putice que não conseguimos entender... a vida... a morte.... a dor... a sensação deveras desconfortante que ninguém presta.... a certeza que o que foi não mais voltará... o desafio e liberdade diários de olhar a imensidão deslumbrante da grande avenida... embora não ter mais a viscosidade que escapa do pau e mancha o edredon de menina acaba por recobrar a realidade.... a vida.... a vida... a dor no fundo da retina.... não mais os planos de casa roupa comida... não mais a incerteza de um futuro em comum.. não mais nada.... nunca mais... agora a convicção de mau-caratismo e desvio de retidão qual ao pai não respeitado... a careca que não impõe respeito justamente pelas tramóias por nós continuada... e no final, oq?... o bloqueio no msn, o não ódio no fundo da alma, a possibilidade de esquecer o que foi bom e mau a uma só vez... e eis tudo: a possibilidade...

6 comentários:

  1. "a sensação deveras desconfortante que ninguém presta"

    Era disso que eu tava te falando, (Se a bebida lhe preservou a memoria) a história precedente te deixa com o pé atrás. A coisa do gato escaldado que tem medo de água fria.

    ResponderExcluir
  2. na verdade é: "gato escaldado tem medo de água quente"; escalda - quente, saca?... e acho q já tô com medo é de SOPRO quente!... punk! e, memória? q memória? abs...

    ResponderExcluir
  3. Não cara, o barato é que depois de ser escaldado, com água quente, o gato fica com medo de aguá geral, quando vê água ele não espera pra ver se é quente ou fria, ele sai vazado ao menor sinal de água. Pela possibilidade da água ser quente e machucar ele generaliza e não da mole pra água nenhuma. Manjou?

    ResponderExcluir
  4. "o bloqueio no msn, o não ódio no fundo da alma, a possibilidade de esquecer o que foi bom e mau a uma só vez... e eis tudo: a possibilidade..."

    o que dizer quando o poeta diz tudo?

    mas olha, nos comentários concordo com o psicólogo. rsrsrs. Mas, olha é só a opinião da desempregada do ensino médio.

    ResponderExcluir
  5. então deixemos assim: "gato escaldado que tem medo de água"...

    abs...

    ResponderExcluir
  6. "gato escaldado tem medo até de água fria"?
    "gato escaldado tem medo de gelo"?
    Eba. Adoro enquetes...
    huahauhuha

    ResponderExcluir