Loading...

It's been a hard days night!

Têm dias em que a noite é foda.


07 julho 2008

CARTA DO DESESPERO N.º 4

Tô estressado com você; já faz um tempo. Cansei de repetir insistentemente que não quero mais a sua intransigência. Sobre o que aconteceu hoje eu já havia lhe avisado: falei inúmeras vezes para que não surgisse nenhum novo nome, foto ou o que quer que fosse. Passei da fase de avisar; se você não cumpre, faço eu. E quanto a isso, não cabe a menor queixa por sua parte. Foi avisada e reavisada, por que não cumpriu? Não é necessário falar 1 milhão de vezes? Contudo, você reclamou. Disse que eu não poderia ter apagado nada. Balela. Você não acreditou em mim - como sempre, não deu ouvidos ao que eu falo -, achou que era flerte; não há mais avisos. A respeito da sua intransigência (bater os dois pés a tudo o que sai da minha boca) eu não agüento mais. Você é um dia linda, calma, CIVILIZADA; enquanto no seguinte torna-se quase um BICHO. E não me refiro aquele "meu bichinho", como carinhosamente faço questão de te nomear. É um outro: SURDO, chucro, injusto. É no mínimo gozado ter por todo sempre ao meu lado, personificados, uma fauna e uma flora. Uma fera e uma flor. Pois te afirmo: a fera eu não quero nunca mais. Sempre, sempre, sempre provo que estou certo - desta vez, eu havia avisado - e você não ouve. Não leva a sério. Não ME leva a sério! Continua, por idiotaria birrice infantil e ignorante fechando os ouvidos só (e isso é importante frisar), só para o que eu digo. Mas que CARALHO!!! Vive falando que sou inteligente e não-sei-quê e blá-blá-blá e não respeita o que eu falo, mesmo eu provando estar certo. Não sabe discutir. Pra você, discussão é sinônimo de briga. Acredite: não é! Não quero e não vou mais avisar. Você deve: ser ex-tre-ma-men-te MEIGA; parar de ficar emburradinha por NADA; ouvir a merda das coisas que eu falo e debater como pessoas normais, inteligentes e únicas, não como os filhos-da-puta dos playboyzinhos que permeiam a nossa volta. Pela última vez - juro - pela última vez, pare: 1) de me ameaçar. 2) de comparar a sua vida com a minha. Você não tem esse direito, muito menos a força necessária (idéias, argumentos, experiências de vida, bagagem intelectual) pra me dizer algo sobre mim. Que eu estou errado, por exemplo. EU NÃO TENHO A VIDA FÁCIL PRA PENSAR FUTILIDADES. Eu sei o que sou, de onde venho e aonde vou chegar. Tenho força de transformar a realidade (a minha e a dos outros). E você? Sabe o que quer? Pra onde vai? Qual a sua missão? Analise estas coisas antes de levantar a voz pra mim. Olhe dentro de você: tem o que ali? Não admito que alguém bata o telefone na minha cara - ou que atire o telefone em mim. Eu sei do meu valor, e que cada um vai engolir as palavras ruins a meu respeito. Quanto a você: pense. Pense muito bem se fecha com o que eu exijo. Não aceito mais a calma momentânea. Quando eu digo alguma coisa não posso ser contestado com gritinhos, esperneios e burrice. Só aceito diálogo, meiguice e inteligência. O que eu espero de uma mulher: - Meiguice/calma - Inteligência - Bom-gosto - Fidelidade - Respeito - Entendimento Cabe a você. Cansei de avisar. Quando eu sair por aquela porta aí não tem mais volta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário